Página Inicial » Diversos » Como consertar um pneu de bicicleta
Você está utilizando um navegador que não possibilita obter todos os recursos da web.
Utilize um navegador mais rápido, seguro e atualizado:

Baixe o Mozilla Firefox ou Google Chrome.

Como consertar um pneu de bicicleta

ÚLTIMAS LIDAS

Saiba como consertar, remendar, substituir e calibrar o pneu de uma bicicleta

Publicação: March 14, 2014 Visualizações: 1625
Categoria: Diversos
Uma bicicleta bem ajustada e com a manutenção em dia é silenciosa e deixa seu passeio muito mais prazeroso e seguro.

As rodas e os pneus são as partes de sua bicicleta que mais entram em contato com o ambiente durante o pedal. Se você pedala bastante ou frequentemente passa por terrenos irregulares esteja sempre atento ao estado das rodas e pneus para evitar desgastes e até mesmo acidentes.

As rodas devem estar sempre uniformes: com os aros alinhados e todos os raios tensionados. Bem centradas, as rodas garantem maior velocidade, estabilidade, frenagem, e lhe poupará novas sapatas de freio. Outro problema de aros desalinhados ocorre quando as sapatas podem pegar nos pneus e rasgá-los, acontece também quando as sapatas estão soltas.

Modelos de pneus utilizados nos diversos modelos de bicicletas.
Modelos de pneus utilizados nos diversos modelos de bicicletas.


Verifique sempre a centragem dos aros e o estado dos raios. Os cubos devem ser lubrificados periodicamente.

Os pneus devem estar calibrados com a pressão correta para o seu peso ou a condição do terreno. Calibragem excessiva diminui o conforto, pois o pneu fica muito duro e não absorve as irregularidades do terreno, além de gastar mais rápido apenas o centro da banda de rodagem.

Pneus carecas furam com mais facilidade e deixam sua bicicleta instável. Os ressecados podem se romper. Substitua-os sempre que necessário.

Se você pedala sozinho, leve sempre consigo um Kit Básico de Sobrevivência, composto basicamente de:
- Uma câmara de ar reserva ou "kit remendo";
- Espátulas para retirar o pneu;
- Bomba de ar (com ou sem indicador de pressão); e
- Chaves com medidas e tipos adequados aos componentes da sua bicicleta.

Modelo de um Kit Básico de Sobrevivência citado acima, capaz de realizar reparo ou substituição da câmara.
Modelo de um Kit Básico de Sobrevivência citado acima, capaz de realizar reparo ou substituição da câmara.


Lembre-se que esses pequenos reparos emergenciais não devem ser permanentes. Assim que possível providencie uma manutenção adequada e a troca das peças quando necessário.

A calibragem dos pneus é a manutenção que pode ser feita na sua casa e é aconselhado uma periodicidade semanal.


Retirando o pneu e câmara da bicicleta:

Imagine que você está pedalando e seu pneu fura no meio do passeio. Que tristeza, não? Infelizmente, esta é uma emergência mecânica muito mais comum do que se pode imaginar. Dificilmente quem pedala nunca foi vítima de um pneu furado.

Exemplo de um pneu de bicicleta furado.
Exemplo de um pneu de bicicleta furado.


O ideal é que sua bicicleta tenha as blocagens das rodas do tipo "quick release" (soltagem rápida), que custam barato e facilitam na hora de sacar a roda.
O "quick release" ajuda também se você transporta sua bicicleta dentro de um automóvel e precisa tirar a roda dianteira para fechar o porta-malas.
Se sua bicicleta não possui este sistema de blocagens, sua utilização é um investimento que vale muito a pena!

Exemplo de um sistema de blocagens
Exemplo de um sistema de blocagens "quick release".


1-) Se o furo ocorreu na roda traseira e sua bicicleta tiver marchas, é necessário trocá-las para a seguinte posição:
- coroa dianteira menor (marcha mais leve, menor)
- catraca traseira menor (marcha mais pesada, maior)

Fazemos isto para retirar a tensão sobre a corrente da bicicleta, o que facilita o manuseio da roda traseira.

2-) Depois devemos desarmar o freio da roda envolvida:


Desarmando o sistema de freio do tipo
Desarmando o sistema de freio do tipo "v-brake" - mais comum.



3-) Sacar a roda, soltando a blocagem:


Soltando a roda.
Soltando a roda.



4-) Desmontar o pneu com as espátulas apropriadas, conforme a sequência abaixo:




Desmontando o pneu com as espátulas.
Desmontando o pneu com as espátulas.



5-) Retirar a câmara afetada, examinando-a para ver onde ocorreu o furo. Examine também o pneu, interna e externamente. Tal exame é importantíssimo, na medida em que o agente causador do furo (ex.: pedaços de vidro) ainda pode estar alojado no pneu e certamente vai furar a novamente a câmara. Inicie a retirada da câmara pela válvula, conforme indicado abaixo:


Retirando a câmara.
Retirando a câmara.




Remendando a câmara da bicicleta

1-) Após ter acesso a câmara, a primeira coisa a fazer é identificar o furo. O ideal é até marcá-lo de alguma forma (uma caneta, por exemplo):


Identificando o furo.
Identificando o furo.



2-) Uma vez identificado o furo, você deve deixar a câmara totalmente esticada (veja melhor no filme no final deste artigo) utilizando o dorso da mão como apoio. Se o furo for pequeno e ela ainda estiver ligeiramente inflada, não há problema. Com isto, a câmara fica mais apoiada, tomando a forma do dorso da mão:

Deixando a câmara esticada.
Deixando a câmara esticada.



3-) Feito este passo, pegamos a lixa e realizamos uma raspagem da área do furo, para retirar qualquer tipo de impureza que possa a vir impedir a boa fixação do remendo:

Passando a lixa na câmara esticada.
Passando a lixa na câmara esticada.



4-) Em seguida, iniciamos a aplicação da cola utilizando o próprio corpo da embalagem da cola para a aplicação. Devemos evitar o uso do dedo na aplicação, para que a gordura da mão não "contamine" a área do reparo, minimizando a adesividade do remendo.

Aplicando a cola na câmara.
Aplicando a cola na câmara.



5-) Após a aplicação, aguardamos a secagem da cola, que pode variar de acordo com o fabricante. Uma dica é perceber através da diminuição do "brilho" da mesma. Geralmente quando ela é aplicada ela fica brilhante e, na medida em que sua secagem se processa, vai ficando "opaca". A perda do brilho então indica o ponto de secagem ideal e, a partir deste ponto, prosseguimos com nosso reparo.
Durante esta secagem a câmara pode ser retirada da posição em que estava, podendo "descansar" em alguma superfície plana, evitando contato com a região do reparo:

Aplicando a cola na câmara.
Aplicando a cola na câmara.



6-) Após a secagem da cola, utilizamos então o "remendo" propriamente dito (em São Paulo é chamado de "estrelinha"):

Aplicando o remendo propriamente dito.
Aplicando o remendo propriamente dito.



7-) Retire a película protetora do remendo, evitando contato com a área adesiva do mesmo. Voltamos a enrolar a câmara no dorso da mão, de modo a termos o apoio da região a ser remendada e a seguir aplicamos o remendo com a outra mão no local previamente preparado:

Aplicando o remendo propriamente dito.
Aplicando o remendo propriamente dito.



8-) Após a colocação do remendo, retire a película de proteção superior do mesmo, passando o dedo “por cima” do remendo para evitar imperfeições.


Finalizando o processo de aplicação do remendo.
Finalizando o processo de aplicação do remendo.




Instalando a câmara e o pneu

1-) Pegue a câmara e encha-a ligeiramente, para que ela "molde" melhor no pneu ao ser colocada, evitando assim que a mesma fique dobrada no interior do pneu, o que causará sua deformação. Em seguida, posicione a câmara no pneu conforme a foto abaixo:

Prepando para instalar a câmara.
Prepando para instalar a câmara.



2-) Inicie a inserção da câmara no interior do pneu, começando pela válvula:



Instalando a câmara.
Instalando a câmara.



3-) Você pode usar as espátulas para inserir a câmara:

Usando as espátulas para ajudar na instalação da câmara.
Usando as espátulas para ajudar na instalação da câmara.



4-) Remonte o pneu no aro:

Ajustando o pneu no aro.
Ajustando o pneu no aro.



5-) Encha o pneu, procurando respeitar a medida impressa na lateral do mesmo

Enxendo o pneu.
Enxendo o pneu.



6-) Finalize remontando a roda em sua posição original, lembrando de armar novamente o freio:

Remontando a roda e o freio.
Remontando a roda e o freio.




Calibrando o pneu

1-) Para se calibrar os pneus, o ideal é que tenhamos alguma forma de medir a pressão a ser inserida, uma vez que cada pneu tem uma pressão correta e única. Na lateral do pneu está impresso o valor da pressão a ser inserida, conforme a foto abaixo:

Verificando o valor da pressão recomendada para o pneu.
Verificando o valor da pressão recomendada para o pneu.



2-) No caso deste pneu, a pressão ideal é de 36 PSI. No nosso caso, utilizaremos uma bomba de pé, facilmente encontrada nas boas bikeshops, e que já possui um marcador de pressão, conforme foto abaixo. Mas, na maioria dos postos de gasolina também possuem este marcador, facilitando a calibragem do pneu.

Calibrando corretamente o pneu de acordo com a pressão recomendada.
Calibrando corretamente o pneu de acordo com a pressão recomendada.



Passa a Passo em Vídeo

Demonstração de manutenção de troca da câmara de um pneu

Demonstração de um remendo na câmara

Demonstração de manutenção de calibragem de um pneu


Agora é com você, leitor.

Gostou da matéria? Compartilhe com seus amigos.

"Conhecimento só é bom quando é repassado aos outros."
__

Fonte: www.EuVouDeBike.com
Veja também »